Lesões de interesse buco-maxilo-facial em escolares vítimas de violência intrafamiliar




INTRODUÇÃO

Em virtude de estudos relacionados com esse tema - especificamente buscando contextualizar a Medicina e a Odontologia Legal com a Psicopedagogia na nossa tese de Mestrado - escrevo o presente artigo para instigar nos leitores a busca pela importância do assunto.

Trata-se sem dúvida, de assunto relevante para a Odontologia incluída como profissão de saúde no contexto da notificação dos maus tratos, buscando a Justiça e o bem estar de crianças vítimas da violência intrafamiliar. Procuro pesquisar esse segmento para estabelecer um link entre as duas áreas do saber como mencionei.


DISCUSSÃO

No nosso modo de pensar, as lesões de interesse buco-maxilo-facial que as crianças em idade escolar apresentam com origem na violência intrafamiliar são classificadas em dois grupos.

O primeiro grupo inclui as lesões na cavidade oral e na face da vítima, causadas pelas agressões ou pelos impactos causados por projeção do corpo da vítima.

O segundo grupo é caracterizado por mordidas produzidas pelo agressor em qualquer parte do corpo da vítima, que não deixam de ser de interesse pericial, uma vez que, podem levar a identificação do agressor.
De acordo com Silverman (1973) no estudo da Síndrome da Criança Maltratada as lesões causadas pela violência intrafamiliar são inúmeras e além do sofrimento físico, causam grande trauma psíquico.

Por isso é que consideramos as lesões faciais em crianças, fruto de agressões de pais e padrastos desumanos, como uma ofensa enorme à honra pessoal, principalmente se tratando daqueles que não podem se defender.
“Vou dar na sua cara...”
isso é desonroso e cruel.

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Obviamente que não iremos descrever nesse artigo, as lesões encontradas nas vítimas em questão, até porque não é esse o nosso objetivo. O que desejamos é alertar os colegas que exercem a Odontologia Hospitalar ou em Pronto Socorro, para a necessidade de reconhecer as situações onde a violência intrafamiliar se faz presente e que possam promover a notificação dos casos encontrados, visando à colaboração com a Justiça.

Observamos que esse tema não é tratado regularmente nos congressos e jornadas da nossa profissão, como se a Odontologia estivesse dissociada da Medicina.

Pensamos assim, em ministrar cursos e conferências sobre o tema em eventos e fora deles, desde que previamente agendados.


BIBLIOGRAFIA

CARDOSO, Ângela Maria Paes Pinheiro. MACIEL, Robson Tadeu de Castro. Violência à criança em idade escolar, Tema Livre apresentado no IX Simpósio da Comunicação da Região Sudeste, CDRom, Campos dos Goytacazes/RJ: 2002

FRANÇA, Genival Veloso de. Medicina Legal, Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2000

MACIEL, Robson Tadeu de Castro Maciel. Estudo da Síndrome da Criança Maltratada e as Dificuldades de Aprendizagem, Dissertação de Mestrado apresentada a UNIPLI. Niterói/RJ: 2006

SILVA, Moacyr. Compêndio de Odontologia Legal, S. Paulo: Medsy, 2001.

ROBSON TADEU DE CASTRO MACIEL
Pósgraduado em Odontologia Legal - UFRJ
Mestre em Ciências da Saúde - Unipli - RJ

Contato: rmodontolegal@ig.com.br

.


 
Dentistas.com.br

Google